Ela voltou! Entenda todas as referências de "Man's World" o novo clipe de Marina

Marina no clipe de Man's World | Foto: Divulgação


Passando pela atomicidade loira de Electra Heart e o glamour nostálgico de Froot, a superestrela do pop Marina (antiga And The Diamonds) criou algo como um fenômeno cultural em torno de seus videoclipes. A cada novo single, vemos a cantora de origens galês-grega abraçar uma estética inteiramente nova, criando um frenesi entre os fãs enquanto eles devoram cada referência. E com seu novo single Man's World, a premissa se cumpre mais uma vez. 

Marcando oficialmente seu retorno após o álbum Love+Fear, de 2019, a música é o encontro entre a nova abordagem lírica do disco passado com a sonoridade groovy e orgânica de Froot. A track veio acompanhada por um videoclipe vibrante e poético dirigido por Alexandra Gavillet, que já trabalhou com artistas como Blackpink, Charli XcX, Billie Eilish e Dua Lipa. Para quem não se lembra, em julho do ano passado a cantora anunciou que estava trabalhando em novo projeto que segundo ela, "só poderia ser contado por mulheres". Ao que tudo indica, a música é só o início dessa história, que já está prevista para o meio de 2021.

No videoclipe inspirado nas pinturas de Godward, Marina presta homenagem a sua origem grega ao usar uma releitura das vestimentas usadas pelas mulheres da Grécia Antiga, que apesar do cinema e televisão criarem a impressão de que os gregos usavam principalmente branco, as ilustrações da época mostram que as roupas eram muito coloridas e decoradas. Ao representar mulheres de diversas idades e etnias, a mensagem é clara, o antigo padrão de beleza feminina restritivo e irreal não deve mais ser tolerado. Porque, tão plurais quanto as cores e flores do mundo, e tão importantes quanto as forças que guiam o universo, as mulheres marcam o começo de tudo. Em outros trechos é possível ver o toque de mãos que referenciam o quadro "A Criação de Adão" do italiano Michelangelo Buonarotti, mostrando a distância de encontro entre o homem e o divino.


Ao longo da música, a cantora faz uma crítica a repressão histórica que as mulheres passaram e ainda passam, reforçando ainda, como o homem é culpado por diversos problemas que enfrentamos hoje no mundo. "Me queimaram na fogueira / Você pensou que eu era uma bruxa séculos atrás / Agora você me chama de vadia" ela canta. "A Mãe natureza está morrendo / E ninguém está marcando pontos / Eu não quero mais viver em um mundo de homens".

Nas redes sociais, fãs lembraram a importância simbólica do refrão. "A grande mensagem por trás de tudo isso é lembrar como as mulheres ainda são menosprezadas na sociedade, sendo vistas como fracas e inferiores aos homens. Aqui, Marina nos mostra como ela enxerga uma possível renovação desse mundo opressivo, já que não aguenta mais viver em um mundo onde os homens enxergam mulheres como um objeto de desejo como uma "strawberry soda", um mundo de homens que são intolerantes com a diferença e matam a mãe natureza. Ela usa imagem de Deusas, a natureza, bruxas e até Marylin Monroe para ilustrarem figuras femininas que foram corrompidas por homens ao seu redor" lembra a fã, Vanessa Oliveira.

Marina | Foto: DivulgaçãoAdicionar legenda

"Se você tem mãe, filha ou uma amiga / Talvez seja a hora, hora de você compreender / O mundo em que você vive / Não é o mesmo que eles / Então não me puna porque eu não sou um homem". Caminhando para o final do vídeo ela clama pela transformação, usando a flor símbolo de Atenas, a violeta, como marca dessa nova fase de mudanças. Tendo na sororidade e representatividade feminina a força necessária para lutar, Marina nos leva a questionar nosso lugar no mundo. Por isso, eu pergunto: e você, também está cansadx de viver no mundo dos homens?

Assista agora Man's World:

Postar um comentário

0 Comentários