Teste

Paul McCartney fala sobre única música sua elogiada por John Lennon e porquê não tira selfies

Paul McCartney em apresentação ao vivo | Retirada deste vídeo


Quem acompanha o trabalho dos Beatles desde o início da carreira, sabe que Paul McCartney e John Lennon sempre tiveram diferenças criativas. Este foi, inclusive, um dos principais motivos para o fim da banda em 1970.

Em entrevista recente à CBS News, que ocorreu em junho de 2019, Paul McCartney contou algumas histórias interessantes sobre a convivência da banda e sua carreira em geral. Na ocasião, ele lembrou que John Lennon elogiou apenas uma das músicas que ele compôs:

Sharyn Alfonsi (entrevistadora): Vocês eram competitivos, compondo juntos? Ou se complementavam?
Paul McCartney: Eu e o John? Sim, nós éramos competitivos. Não abertamente, mas depois nós admitimos, "Sim, sabe, se o Paul escrevesse uma boa, era melhor eu ir embora." E eu fazia o mesmo "Hmm, essa parte é boa, certo, lá vamos nós." Se eu tivesse escrito "Strawberry Fields", provavelmente ela seria [chamada] "Penny Lane". Sabe, ele estava lembrando da sua área em Liverpool, então eu me lembraria da minha. 
Sharyn Alfonsi: E quando isso aconteceu, vocês se elogiaram?
Paul McCartney: Uma vez
Sharyn Alfonsi: Uma vez?
Paul McCartney: John me elogiou.
Sharyn Alfonsi: Em quantos anos? [risos]
Paul McCartney: Foi apenas uma vez, nesse tempo todo. Eu achei que tinha sido em "Revolver", mas foi em "Here, There and Everywhere" uma das minhas músicas. O John disse, assim que ela terminou: "Essa música é muito boa, cara. Eu adorei essa música." E eu fiquei tipo "Ok, ele gosta dela." Sabe, eu lembro disso até hoje. É patético, na verdade.
Sharyn Alfonsi: E você elogiava ele?
Paul McCartney: Sim, eu dizia que as coisas dele eram ótimas. Geralmente um pouco bêbado. Isso ajudava.

Na mesma entrevista, Paul também revelou que, antes dos shows, ouve músicas dos Wings e do Beatles, para decidir quais farão parte do setlist e reaprendê-las. Ele afirma: "Tem músicas demais. Muitas palavras. Muitas notas. Elas são muito difíceis. Não é como se todas fossem com apenas 3 acordes."
O ex-Beatle continuou, falando também sobre o fato de que todo mundo hoje em dia tem uma câmera na mão e como é difícil ser um dos rostos mais reconhecidos do planeta. Ele explicou ainda que não tira fotos:
Paul McCartney: Ser reconhecido por todo mundo, sabe, não é sempre que você quer isso. É algo muito difícil, porque você não quer ser rude com eles [os fãs], porque são pessoas legais, que gostam de você de verdade. Mas você precisa colocar um limite. Hoje em dia todo mundo tem uma câmera.
Sharyn Alfonsi: Todo mundo tem uma câmera
Paul McCartney: Então, a primeira coisa [que acontece], quando eu vejo pessoas, elas não dizem nada. Só pedem  "Vamos tirar uma foto" e eu digo "Desculpa, eu não tiro fotos. Mas eu ficaria muito feliz em apertar a sua mão e conversarmos um pouco."
A entrevista completa pode ser lida (apenas em inglês), aqui.

Postar um comentário

0 Comentários