Teste

Celebrando a diversidade, Emicida, Majur e Pabllo Vittar lançam "AmarElo", single impactante repleto de mensagens de força e apoio

Pabllo Vittar, Majur e Emicida | Créditos: Divulgação

Por: alterigu

Lançado nesta terça feira (25) "AmarElo" é o segundo single do terceiro álbum do rapper paulistano Emicida, que leva o mesmo nome. Seu clipe já conta com mais de meio milhão de visualizações e segue entre os videos em alta no YouTube.


"Presentemente eu posso me considerar um sujeito de sorte, Porque apesar de muito moço me sinto são e salvo e forte"

Os primeiros segundos da música são introduzidos por Majur, com um 'sample' de "Sujeito de Sorte", escrita por Belchior, que foi um cantor, músico, compositor e intelectual que revolucionou a história da MPB. As batidas da música se dissolvem em meio a batidas de um coração e assim os versos de Emicida nos atinge com um impacto tão grande quanto os graves da música. Após o segundo refrão, Pabllo recita o poema Permita que eu fale  – escrito pelo próprio rapper – e mesmo com um tom suave, não deixa de transmitir a força de cada palavra contida nos versos.

O clipe, lançado poucas horas depois da música, foi registrado no Complexo Morro do Alemão, com direção de Sandiego Fernandes e roteiro do próprio Emicida. Antes do inicio da música, surge um áudio real recebido por Emicida de alguém próximo e acaba fazendo com que quem está assistindo, sinta o que é essa angústia de se estar imerso na dor e não ver outra saída. Mas sobreviveu e hoje está bem.

Enquanto o áudio é reproduzido, é possível relacionar os curtos videos que vão passando a esses sentimentos: A montanha russa, simbolizando os altos e baixos da depressão, a visão da beira de uma ponte, como alguém com pensamentos suicidas e o símbolo que também está na capa do single, o farol amarelo que assim como nas ruas, pede "atenção", pois ainda dá tempo de parar.


"Aê, maloqueiro, aê, maloqueira, levanta essa cabeça, enxuga essas lágrimas, respira fundo e volta a correr / Cê vai sair dessa prisão, vai correr atrás desse diploma/ Faz isso por nós". 

A representatividade contida no clipe é tão linda quanto o apoio transmitido em cada verso, ainda mais em um país que mais mata LGBTQI+ e onde um jovem negro é morto a cada 23 minutos, segundo relatório do Mapa da Violência, da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais.

Majur, Pabllo Vitar e Emicida | Créditos: Divulgação

Com "AmarElo", Emicida conseguiu fazer com que as pessoas se sintam maiores do que seus problemas. É o abraço que estávamos precisando, o nosso mantra para nossos dias. 

Ao Emicida, Pabllo, Majur e toda a equipe de produção, em nome de todos nós, obrigado.

Postar um comentário

0 Comentários