Uma poderosa força da natureza: AURORA faz show emocionante no Rio de Janeiro


AURORA no Circo Voador | Foto: Andressa Gonçalves

Se carisma fosse nome próprio, com certeza ele seria AURORA. A norueguesa, que é tão pequenininha em altura, é enorme na voz poderosa que fez ecoar pelo Circo Voador, na noite de sexta-feira (17/05), no Rio de Janeiro.

Silja Sol abrindo o show da AURORA | Foto: Andressa Gonçalves

A noite começou com a apresentação de Silja Sol, backing vocal de AURORA, que tocou guitarra e cantou em média 5 músicas. Apesar de todas serem em norueguês e ela estar um pouco tímida, sua simpatia (explicando ao público o significado de cada faixa), e, voz meiga, agradaram muito a plateia. Ela aqueceu os corações de todos alí presentes, que, algumas horas antes, haviam enfrentado chuvas fortes para chegar ao evento.

Silja saiu do palco ovacionadíssima e, consequentemente, emocionada. A plateia parecia unânime em reclamar apenas de uma coisa ao fim do set: que ele era curto demais.

AURORA cantando "Churchyard" | Foto: Andressa Gonçalves.

E aí veio AURORA. AU-RO-RA. O furacão, o fenômeno norueguês. Com pontualidade quase britânica, a cantora começou a performance exatamente às 22h31, com a canção "Churchyard", que já conquistou a plateia nas primeiras notas.

É incrível como desde "Churchyard" até "Queendom", última música do set, o público cantava junto com AURORA: cada palavra, cada letra, cada "ah" e "oh", sem perder uma batida sequer. Mesmo em hits mais novos como "The River" e "The Seed", podia-se ouvir o coro de fãs devotados.

A voz dela também é outro fator impressionante. São raros os vocalistas que conseguem manter a mesma qualidade vocal dos discos ao vivo, mas AURORA consegue, e com maestria.

Geralmente, a versão gravada de uma música é melhor que a ao vivo, pois as edições e mixagens permitem que ela tenha uma qualidade melhor. No caso de AURORA, acontece exatamente o contrário. A versão ao vivo é melhor porque nela temos toda a qualidade do gravado em estúdio, além da desenvoltura e energia incrível da cantora. 

AURORA apresentando "Queendom" | Foto: Andressa Gonçalves.

Ela canta, dança, pula, brinca, interage com o público, recolhe presentes, e não para! Durante todo o show, AURORA só parou mesmo uma vez, quando se retirou do palco e voltou minutos depois para encerrar a apresentação com "Running With The Wolves", Infections of a Different Kind" e "Queendom". Em todas as pausas anteriores, ela interrompeu o espetáculo apenas para interagir com o público.

A energia da cantora, somada à sua voz suave e potente, é um acontecimento etéreo. Estando no show dela, podemos entender porque os fãs a chamam de "fada". A intensidade do evento é tão grande que se sente na pele, com arrepios.

Mesmo quem não é fã de AURORA se sente contagiado pela sua vivacidade. É possível sentir toda a sua paixão pela música, carinho com os fãs e, é claro, talento nato.

AURORA contagiando o público com toda a sua presença de palco|Foto: Andressa Gonçalves.

Em determinado momento do show, a plateia gritou em uníssono "ele não". A cantora provou ser muito mais que uma artista quando disse "Eu concordo com vocês, mas não vamos falar sobre pessoas ruins hoje, porque o bem sempre vencerá o mal e o poder está verdadeiramente nas mãos do povo". Resposta essa que foi recebida com uma calorosa salva de palmas pela plateia.

AURORA fez uma apresentação para todos os tipos de público e faixas etárias, mostrando que bom gosto não tem discriminação. Ela é uma força da natureza que todo mundo deveria assistir, ao vivo, pelo menos uma vez na vida.

O show de AURORA não é uma apresentação normal, é uma experiência energizadora para levar consigo pelo resto da vida.

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Adorei!!! Queria ter ido!!! :(((, mas só de let Todo o relato incrível, já pude sentir que a experiência foi muito boa!!! Parabéns pela matéria 💛🧡❤️💚💜💙

    ResponderExcluir