Teste

Paul McCartney promove emocionante encontro de gerações em show inesquecível


Quem viu nunca mais vai esquecer.

Quem teve o privilegio de estar no Allianz Park nas noites de 26/03 ou 27/03 de 2019, jamais esquecerá, porque Sir Paul McCartney esteve lá.

Seria mais um show de uma estrela internacional, só que não. Estamos falando de um Beatle.
Estádio lotado com quase 50 mil jovens,isso mesmo, jovens sim! Porque gerações se uniram e todos tinham a mesma idade, pois ali o tempo não havia passado.

O telão exibia imagens dos Beatles em uma sequência que parecia não terminar, acelerando ainda mais os batimentos cardíacos dos fãs, todos ali sabiam que ao encerrar aquela apresentação Paul subiria ao palco, quando as luzes se apagaram e somente o som do público em meio a uma incontrolável ansiedade aguardava, eis que surge como uma holografia, Sir Paul McCartney
e sua banda tocando a clássica A Hard Days Night.

Seria um sonho? Embora parecesse, era real! O ex Beatle cantou sucessos da banda de Liverpool, alternando com sucessos de The Wings e outros sucessos de sua carreira solo.

Em um dos muitos momentos de grande emoção, Paul não deixou de homenagear seus grandes amigos John e George, o primeiro ele se referiu como  sendo seu irmão.

Não faltaram emoções quando ele foi suspenso em uma plataforma cantando e tocando, Blackbird, hino feito em homenagem a Martin Luther King.

Arriscando um português muito bem ensaiado, por muitas vezes, Paul esbanjou simpatia falando noso idioma, em um momento ele disse: "Que balada!" E o público veio a loucura. Não escondeu a emoção ao ver um mar de placas de NA! NA! NA! quando cantou HEY JUDE. Homenageou o Brasil com uma música de sua autoria ¨Back in Brazil¨.

Após saciar olhos que não piscavam, bocas que não paravam de cantar e gritar, pés que pareciam nem tocar no chão, Paul saiu e voltou em um bis com a bandeira do Brasil nas mãos acompanhado da bandeira da Inglaterra.

Encerrou o show com ¨A Day in The Life¨ muito ali não acreditaram que estavam ouvindo uma de suas músicas prediletas, incluída no setlist de forma muito bem pensada.

Após se despedir e agradecer, sumiu entre uma fumaça misturada com papéis picados, parecia ter ido para outro planeta, talvez Pepperland. A verdade é que todos voltaram para casa com a sensação de sonho realizado e a certeza que somos privilegiados, pois
vivemos nos tempos de Sir Paul Maccartney. Até a próxima Paul.


Postar um comentário

0 Comentários