Teste

CRÍTICA | 'Socorro, Virei Uma Garota!'

Elenco reunido com o diretor Leandro Neri nos bastidores do longa | Instagram

Se você acordasse no corpo de uma pessoa do sexo oposto, o que você faria? Na nova comédia brasileira 'Socorro, Virei Uma Garota' dirigida por Leandro Neri, a resposta para essa pergunta é o ponto principal do longa. Um filme que mesmo sendo um clichê do gênero, ainda faz rir e traz reflexões importantes sobre as diferentes formas de amar e aceitação.

O filme conta a história de Júlio (Victor Lamoglia) um adolescente bem tímido e fera das exatas - o clássico exemplo do nerd colegial - que é apaixonado por Melina (Manu Gavassi), a garota mais popular do colégio. Sem coragem para chegar na crush e logo depois de passar por um super mico na frente da turma toda, o garoto vê uma estrela cadente cortar o céu e pede com toda sua força para: ser a pessoa mais popular e descolada da escola. Como o próprio título do filme diz, o pedido acaba saindo um pouco diferente do que o esperado e Júlio se transforma na grande digital influencer Júlia Martinez (Thati Lopes). 

A fórmula com que o roteiro de Paulo Cursino se desenvolve imediatamente lembra alguns dos filmes clássicos de comédia que tratam do mesmo tema, como Sexta-Feira Muito Louca e também o brasileiro Se Eu Fosse Você, sucesso de bilheterias. As piadas sobre as dificuldades de estar vivendo em outro gênero são recorrentes em todos esses filmes, e como esse não é diferente. Muitas situações e cenas já eram esperadas - mas nem por isso deixaram de ser engraçadas - como o homem tentando andar de salto alto pela primeira vez e até mesmo enfrentando as cólicas menstruais, enquanto tenta entender seu novo corpo.

Cercada pelo cenário colegial, a história tem um bom plano de fundo para o desenvolvimento dessas questões de mudança corporal e sobre ser jovem atualmente na era da internet. O dia a dia habitual da estudante "normal" - na medida do possível - ainda sim, conseguiu trazer bons ganchos para se explorar na comédia juvenil, como a importância do amor próprio. Os tons de Júlia vão amadurecendo junto com a história, dando a possibilidade do perfil cômico e despreocupado da personagem ir além, e trazer também a empatia da audiência.

Embora seja um pouco exaustiva em alguns dos momentos iniciais, a trilha sonora vai se acertando ao longo do desenvolvimento das cenas, e depois de um tempo já passa a ser certeira em promover boas risadas. Em especial em uma cena cômica protagonizada pelas personagens de Thati Lopes e Lua Blanco, que fica cada vez melhor com um sucesso da cantora Ana Carolina tocando no fundo.


Leo Bahia, o "Cabeça", e Thati Lopes, "Júlia".

Como o filme inova em um universo já tão explorado?

Um dos aspectos mais explorados na obra é o amor, algo bem desenvolvido pela personagem Júlia (Thati Lopes), que mesmo do ramo da comédia nos entrega uma atuação emociante em muitos momentos. São as reflexões de Júlio (Victor Lamoglia) sobre amizade e comportamentos machistas, junto da descoberta do amor próprio e até mesmo aceitação de pessoas LGBTQ+, que somados são os pilares para deixar a comédia diferenciada das outras. 

Socorro, Virei Uma Garota! é divertido e gostoso de ver. Ele cumpre bem seus dois objetivos principais que são fazer o público rir com as situações vividas pelos jovens, e também se emocionar com questões enfrentadas pela personagem Júlia. Aqui, a mensagem vem acompanhada de uma boa risada.

E você aí, se uma estrela cadente passasse no céu hoje qual seja o seu desejo?


FICHA TÉCNICA 

Direção: Leandro Neri 
Roteiro: Paulo Cursino 
Elenco: Thati Lopes, Victor Lamoglia, Leo Bahia, Manu Gavassi, Vannessa Gerbelli, Nelson Freitas, Kayky Brito, Lua Blanco, Lipy Adler e Bruno Gissoni
Gênero: Comédia 
Duração: 110 minutos 
Classificação: 12 anos
Distribuição: Downtown/Paris 
Produção: Camisa Listrada 
Coprodução: Paramount Pictures, Panorama Filmes e Telecine

Postar um comentário

0 Comentários