Store

header ads

Confira o 1º Álbum do Wallows: Nothing Happens


Por: Gabriel Gallo

Hoje a banda de indie rock americana Wallows estreou o seu primeiro álbum de estúdio da carreira. A banda já tem na bagagem outros singles e um ep, mas esse de fato foi o primeiro álbum do grupo, denominado de Nothing Happens.

Ao longo dos últimos meses, a banda - que é formada por Braeden Lemasters, Cole Preston e Dylan Minnette (famoso por também participar da série 13 Reasons Why) - lançou alguns singles para divulgação do novo álbum: Are You Bored Yet? (com participação da cantora e compositora Clairo), Scrawny e Sidelines. Todos os 3 singles já nos mostravam quais caminhos o novo disco iria tomar.

Nothing Happens reúne bem tudo o que o Wallows já fez até agora e que faltava sintetizar em um álbum; e o disco vai além: a ideia de álbum com começo, meio e fim é bem desenvolvido pelo grupo ao percebermos, por exemplo alguns detalhes como: o final da penúltima música se encontra no começo da última música, e, o final da última música da gancho (tem a mesma melodia) para o começo da primeira música. Toda essa ideia de continuidade nos dá uma sensação de que o álbum é um ciclo, além de claro, o fato disso ser muito interessante e pouco explorado dentro do cenário musical.

Quanto a sonoridade e referências musicais, o Wallows buscou manter bastante a essência da banda e buscou mais uma vez beber de fontes como o Rock Alternativo, Indie rock e pós punk dos anos 80 e do New Wave. Aqui se encaixam bandas como The Cure, The Smiths e The Vaccines, por exemplo. Quanto a instrumentos, a banda parece bem mais madura utilizando-se de guitarras, efeitos muito bem colocados e sintetizadores que nos remetem a um ar mais oitentista e nostálgico; além de claro, a alternância dos vocais principais, que é algo pouco explorado também pelas bandas, mas que dentro do Wallows funciona muito bem. Para resumir bem, a sonoridade do álbum poderia ser comparada - e poderia facilmente ser introduzida - a uma trilha sonora de um filme mais alternativo (com um ar meio adolescente) dos anos 80.

Os 3 singles lançados anteriormente ao álbum realmente foram replicados no restante do disco. Temos músicas bem influenciadas no indie rock e rock alternativo com uso de sintetizadores e riffs que grudam na sua cabeça e com uma sonoridade bastante leve e gostosa, como é o caso de Are You Bored Yet?, Only Friend, Ice Cold Pool,  Worlds Apart e What You Like. Depois, puxando um pouco mais para o lado do rock alternativo, com um menor uso de sintetizadores e um foco maior nos instrumentos e musicas mais consistentes temos: Sidelines, Treacherous Doctor (que aqui fica bem dividida entre essa categoria e a anterior) e Remember When. E por fim, indo por uma direção mais voltada nas influências de um pós-punk oitentista, com riffs de guitarra mais secos, pouquissimo (ou quase nada) uso de sintetizadores e apostando numa sonoridade um pouco mais "crua" (mas nem tanto), podemos observar: Scrawny e I'm Full (nos remetendo bastante ao estilo do single Pleaser, que também é da própria banda).

A grande surpresa e inovação do álbum e da banda está justamente na última (e uma das melhores) faixa de Nothing Happens, denominada de Do Not Wait. Com um gancho que vem do final de I'm Full, a faixa é composta praticamente por sintetizadores no começo da canção. A faixa tem uma forma de composição linear onde a música vai crescendo continuamente conforme o tempo vai passando. Com um começo bem calmo (nos fazendo lembrar bastante de músicas como Wetsuit e All in White do The Vaccines), Do Not Wait tem uma quebrada abrupta na metade da faixa, onde justamente entra em cena uma sonoridade bastante conhecida do Wallows com guitarras e um solo marcante (posteriormente até o uso de trompete) que nos remete mais uma vez ao indie rock dos anos 80. E é assim até o final; Do Not Wait é uma grande surpresa e uma ótima escolha de música para acabar o álbum, pois talvez, daqui em diante poderemos ver novas sonoridades dentro do Wallows.

Em resumo, Do Not Wait é um excelente álbum de estreia da banda Wallows que tem tudo para se tornar um grande grupo dentro do cenário indie e de rock alternativo mundial.

Confira agora Nothing Happens:


Postar um comentário

0 Comentários