Store

header ads

Entrevista: Daya Luz, a talentosa representante feminina do pop nacional



Por: Andressa Gonçalves e Tati Teixeira

Entrevistamos a Daya Luz, a nova estrela do pop que foi de estudante de administração à cantora e de menina sonhadora à grande artista.

Incentivo para milhares de brasileiras, letras que alegram e fazem dançar, uma voz potente e muito talento Daya apareceu no cenário nacional em 2016 e tem ganhado cada vez mais público com sua personalidade forte, meiga, dançante e cheia de empoderamento. Vem conhecera Daya Luz:

A cantora Daya Luz deu uma entrevista linda para o Indieoclock onde contou sobre sua carreira, seus sonhos, sua luta e suas músicas.

Entrevista:


Daya o que é a dança na sua vida?
A dança foi o começo de tudo para mim, comecei por uma indicação médica aos 9 anos e não parei nada mais. Foi ela a minha primeira entrada no meio artístico, com meus 18 anos eu tinha um sonho muito grande de ser cantora, mas eu era uma garota que vinha da comunidade era uma coisa muito distante para mim. Mas um dia um amigo me avisou que os testes para bailarina do Faustão estavam abertos, eu imaginei que aquele era um caminho para eu iniciar meu sonho de cantora, então eu fiz o teste passei, comecei a cantar em todos os corredores da globo e foi assim que um dia um produtor me encontrou.Hoje eu agrego a dança a minha música.



A dança te ajuda a ser mais criativa para a música?
Com certeza. Quando penso em fazer uma música já tenho minhas referências e já penso na coreografia e em uma maneira de atingir as pessoas com ela. Muitas músicas hoje acontecem mais por conta da dança do que da composição em sí, então é muito importante a coreografia.



E sobre sua formação em administração?
Eu sempre sonhei em ser cantora, eu pequena ia para o banheiro e ficaa fingind oque fazia show, vivia em meio a música, mas meus pais falavam: " vai fazer uma faculdade filha", então eu cursei administração, mas conforme eu fui crescendo eu fiz a faculdade e fui me envolvendo e me arriscando cada vez mais no meus sonhos, então eu arrisquei e deu certo. Fiz o teste do Faustão sem ser uma enorme dançarina, e passei, me arrisquei, tentei e deu certo.


Você veio da comunidade, você acha que hoje os projetos para incentivar a música ainda é pouco nas comunidades brasileiras?
É uma questão que eu sempre penso que quando eu levar meu trabalho um pouquinho mais a frente eu quero fazer esse trabalho em comunidade. Eu quando era pequena minha mãe não tinha dinheiro para investir em meu futuro com canto,dança ou violão. Eu só entrei na dança aos 9 anos porque era motivo médico, minha mãe teve que pagar, o que foi bem complicado, eu só ia uma vez por semana. Ainda falta esse tipo de projeto que dá força para a veia artistica que muitas crianças tem e não conseguem desenvolver. Eu só conseguir correr atrás do meu sonho depois de mais velha, antes não dava.


A sociedade tira o incentivo das crianças de seguirem os sonhos?
As vezes as pessoas mais próximas como os pais não conseguem acreditar, eles enxergam que é difícil, eu por um tempo achei muito distante, mas eu tentei, eu acreditei muito e deu certo.



Depois de muito sonhar falaram " Daya vamos lançar uma música", como foi?
Em 2013 isso aconteceu, eu senti o meio artístico e aí eu decidi esperar e me preparar melhor para poder estudar e dar meu melhor, fiz aula de canto, de dança, para me sentir mais preparada e capaz, eu queria estar muito bem para lançar uma música, esperei até 2016.


O que te fez ser do pop?

Meu sonho sempre foi dançar e cantar, eu via a Ivete  e queria fazer aquilo, eu nem sabia o ritmo, mas era aquilo que eu queria. Quando fui gravar a primeira música eu pensei, quero ser uma artista pop é o caminho das minhas referências, Beyoncê, Michael Jackson. É o pop que eu quero seguir.

O que te inspira a compor?
Eu só consigo compor quando eu to bem, não consigo pensar quando estou triste, gosto de compor em voos, pois a paisagem me inspira, quando estou apaixonada isso me incentiva a fazer música. eu gosto de fazer música para levar a alegria então tem que ser quando estou feliz.



Seu hit, " te dominar " qual era a mensagem?
Essa música, eu fiz a composição para o jogo, eu fiz um estudo, vi que o público era infanto juvenil, então já preparei uma letra que conversasse com esse público, fiz uma linguagem teenager que fala sobre dança. Eu fiz tudo em 1 dia, foi muito corrido. 



Recentemente você lançou a " digo sim", aquele clipe é muito fofo, como surgiu a ideia?
Eu e meu empresário, também meu marido, nós pensamos em fazer algo diferente. No ano do Live action queríamos fazer uma animação, algo mais lúdico e romântico, achávamos que era muito caro, mas corremos atrás e fizemos uma princesa do meu jeito, com fotos minhas e foi inspirado no meu relacionamento, algo bem pessoal, contamos uma história de amor que quer inspirar as pessoas a dizerem sim para o amor, é difícil se entregar, mas é lindo o amor e aproveitar o momento é muito bom.




Já está trabalhando em algo futuro?
Tenho algumas músicas já prontas, mas estamos pensando no momento em lançar singles, estamos focando em alcançar mais pessoas com a minha música, quando chegar a hora certa vamos lançar um EP. Vamos firmar meu público antes.



Foi assim então que a talentosa, simpática e humilde Daya Luz terminou a entrevista com a gente, adoramos o bate papo, pelas canções lançadas e pelo público de milhões de pessoas que Daya já atingiu, não podemos deixar de dizer que sem dúvidas ela tem muito potencial, e sabe ter paciência e tato para realizar seus sonhos. Seu mais recente single é lindo, mostra o quão versátil a cantora é, sua história é marcante como pessoa, mas também como brasileira, inspirando tantas outras mulheres que lutam todos os dias po seus objetivos, mesmo quando eles são contra as possibilidades, e por fim ele é uma artista completa.










Postar um comentário

0 Comentários