Store

header ads

Entrevista com Juan Wauters

Conversamos com o artista uruguaio Juan Waters em sua chegada ao Brasil para uma série de shows, que começou dia 13 em Belo Horizonte, passa hoje por São Paulo e amanhã (15) pelo Rio de Janeiro.

Indieoclock: Bem vindo ao Brasil! É sua primeira vez aqui? 
Juan: Não é minha primeira vez no Brasil, já visitei para um casamento em 2013 e visitei São Paulo, Rio e Bahia, mas não fiz shows aqui na época.

Indieoclock: Quais são suas expectativas?
Juan: Eu não gosto de criar expectativas para os shows, gosto de fazer minha apresentação e deixar as pessoas decidirem se gostaram ou não, pois sei que dou meu melhor quando toco, coloco todo meu coração no show.

Indieoclock: Você tem alguma relação com nossa cultura, se sente inspirado por ela?
Juan: Eu cresci em Uruguai, sabe? Vivi lá até meus 18 anos e me mudei para Nova Iorque em 2002. Eu lembro que ouvia muita música brasileira nos anos 90... E em NY eu ouvi muita coisa do Brasil também, cresci ouvindo, prestando atenção, então é muito inspiradora para mim, verdadeiramente especial.

Indieoclock: E sabemos que você viaja muito. Como essas diferentes culturas te inspiram?
Juan: Sim, eu viajo muito e estou sempre aberto às coisas. Tenho uma percepção bem receptiva do mundo, e acabo gostando de muitas coisas, principalmente o que é genuíno. E a música tradicional brasileira é muito genuína, porque é bem diferente dos outros tipos de música. Tento absorver tudo que posso e aplico em minha música, mas tento manter minha arte como uma expressão da minha vida.
Indieoclock: Como você descreveria sua música e sua carreira para pessoas que ainda não te conhecem?
Juan: Como comecei em Nova Iorque, meu som parecia mais com as coisas ao meu redor. Agora estou me tornando um artista mais internacional, já toquei na Europa, Ásia e na América Latina. Eu peguei muito da música europeia, e agora estou cantando em espanhol para meu público que fala esse idioma. Mas tenho planos de lançar um álbum em português e, posteriormente, em francês - mas não sei quando será e não crio expectativas. As coisas acontecem aos poucos. 
Eu criei um estilo musical que se chama LOCO FOLCLORE ROCK N' ROLL... Louco porque as pessoas acham loucura essa vida de viajar pelo mundo todo, é uma rotina única. Folclore porque é sobre o mundo, música feita por um ser humano no mundo. E não é sobre o estilo rock n' roll, mas a atitude que carrego de ser genuíno e viver conforme as coisas acontecem.

Indieoclock: Quais são suas principais inspirações?
Juan: Minhas principais inspirações são as coisas cotidianas: o que escuto, o que penso sobre, o que vejo no mundo... Meu objetivo é deixar a música ser um retrato da minha vida. 

Indieoclock: Qual sua música favorita do seu trabalho?
Juan: Bom, eu não tenho uma música favorita, mas acho que o que mais me deixa animado é aquilo no que estou trabalhando no momento. Então, agora, prefiro Guapa e A Volar, as últimas que lancei, do álbum que sai em janeiro. Gosto porque são diferentes e tem elementos de outros países. Gosto muito da acordeon em A Volar e da letra em ambas as faixas - são muito especiais para mim, acho que as pessoas podem se conectar com elas.

Postar um comentário

0 Comentários