Store

header ads

Mahmundi faz show de lançamento de seu novo álbum “Para Dias Ruins”

Por Marco Antonio Victoy Stivanelli

Na última terça-feira (06), Mahmundi realizou o show de lançamento de seu novo álbum de estúdio, “Para Dias Ruins”. A apresentação fez parte do calendário musical da 8ª edição do Projeto Interculturalidades, da Universidade Federal Fluminense, que acontece dos dias 5 a 11 de novembro no Centro de Artes UFF em Niterói.

Depois do elogiado disco “Mahmundi”, de 2016, a cantora e produtora Marcela Vale volta aos palcos com uma nova estética, uma pegada pop e cantando mais do que nunca. Descontraída e animada, o que criou um clima de positividade, Mahmundi encantou seu público com uma setlist que não apenas trouxe todas as 9 músicas de seu novo projeto, mas que também incluiu músicas de seu trabalho prévio, como as baladas “Hit” e “Azul”.

Em um bate papo descontraído, a cantora fala um pouco sobre a construção da identidade visual de seu álbum e aborda ainda, alguns de seus projetos pessoais para o próximo ano:

[INDIEOCLOCK] Analisando sua discografia, nota-se que o elemento água encontra-se muito presente na essência de muitas músicas. E agora, a capa de “Para Dias Ruins” te apresenta em uma piscina. Como você se relaciona com esse aspecto tanto visual e quanto sonoro em seu trabalho?

[MAHMUNDI] “A água é muito presente na minha obra. E embora eu não conviva tanto com o mar, eu tinha essa vontade de viver na água e me relacionar com esse profundo, que era algo muito mais além, era muito mais imagético. Então a produção dos discos enfatiza essa história. A piscina nesse disco é esse desdobramento do mar, porque teoricamente a piscina também remete a essa ideia de profundo. Ela pode ser um momento de lazer, mas também de reflexão. Então eu quis sair um pouco do mar, mas também fazendo essa quase que evolução para a piscina, que é uma coisa mais próxima, mas o sentimento de acolhimento é o mesmo. ”

[INDIEOCLOCK] E o que podemos esperar para Mahmundi em 2019?

[MAHMUNDI] “Para Mahmundi é ir evoluindo, caminhando, conversando mais com as pessoas e me relacionando, assim como estamos fazendo aqui sabe. E descobrir também esse Brasil, porque cada vez que a gente canta e faz um show em um lugar, a gente aprende muito mais. Então, tudo isso não é muito sobre mim, mas sobre o que eu vejo e vivencio cada vez que eu vou a esses lugares. ”

Postar um comentário

0 Comentários