Store

header ads

Camila Cabello traz Anitta para dueto e emociona milhares de fãs em sua estreia solo no palco do Z Festival.


(Foto divulgação)

Matéria por: Lucas Henrique 

Neste domingo, 14 de outubro, a cantora cubana Camila Cabello estreou sua primeira turnê solo em terras paulistanas cantando para mais de 15 mil pessoas. Depois de passar por Porto Alegre e Uberlândia, o festival realizado na arena Allianz Parque em São Paulo também trouxe nomes como Make U Sweat, Mc Wm, Vitor Kley, KVSH, Zeeba e o grupo Rouge.

Subindo ao palco após exibição do interlúdio e da contagem regressiva, a cantora levou o público à loucura e deu início ao show com a música “Never Be The Same”, que leva o mesmo nome de sua primeira turnê solo, após saída do grupo Fifth Harmony.

Arriscando frases em português, Camila se declarou “meia brasileira” e agradeceu à espera do público por sua vinda. Dominando o palco, acompanhada de seus dançarinos, colocou os fãs para dançar latinidades com seus hits “She Loves Control” e “Inside Out”, e sua parceria com o rapper Machine Gun Kelly, “Bad Things”.

Foto: Lucas Henrique 

Introduzindo à parte mais confessional e pessoal do show, à capela ela cantou um trecho de “I Can’t Help Falling in Love With You” e introduziu “Consequences” com uma performance intimista no teclado, seguida por “All These Years”.

Em um momento de conversa com os fãs, a cantora discursou sobre amor: “Eu vejo muitos de vocês, todos os dias, escolhendo o amor ao invés do medo, escolhendo ser quem vocês são e dizendo suas verdades”. E assim, ao som da balada “Something’s Gotta Give” e acompanhada pelo telão que mostrava imagens de protestos a favor dos direitos das mulheres, dos imigrantes, dos LGBT’s, e movimentos contra violência como o Black Lives Matter, rendeu ao público um dos momentos mais emocionantes do show.

Ainda mantendo uma relação de conversa próxima com os fãs, Camila fala sobre amor próprio, enfrentar suas dores internas, e se aceitar, e acompanhada de um coral de fãs fervorosos cantou “Scar Tissue” e “In The Dark”.

Iniciando o que seria a maior surpresa do show a cantora falou: “Não é segredo que eu amo muito o Brasil, correto? Então fiquei pensando em algo especial que eu poderia fazer para o Brasil. Fiquei pensando em quem eu poderia trazer nesse show que faria a plateia pirar”. E trouxe ao palco ao som de “Paradinha”, a cantora Anitta.

Elogiando e chamando-a de “rainha do Brasil”, Camila se sentou com Anitta e juntas fizeram um dueto de “Real Friends”, que Anitta declarou ser sua música favorita da cantora. Depois de diversas declarações de amor aos fãs, brincadeiras descontraídas com os que se aglomeravam na grade da área mais próxima do palco e frases em português buscando uma proximidade ainda maior com seu público, Camila ao som de “Know no Better”, “Crown” e “Into It” se encaminhou para o final do show.

Foto: Lucas Henrique 


Para concluir a noite de festa com sucesso, a cantora traz mais traços de suas raízes latinas com a parceria com Pharrell Williams, “Sangria Wine”. Mas a cantora não poderia deixar o palco sem cantar a música que consagrou seu ínicio de carreira e lhe rendeu o primeiro lugar na lista de músicas mais vendidas da Billboard norte-americana, o hit“Havana”.

Com performance e efeitos visuais espetaculares, acompanhada de dançarinos sincronizados e bem ensaiados, a cantora de 21 anos, deixou o palco do penúltimo show de sua turnê

brasileira entregando o melhor para aqueles que ela mesma declara serem “os melhores fãs do mundo.”.

Mas é impossível finalizar sem citar a atração que foi destaque dentre os escalados, antes de Camila, a girlgroup Rouge trouxe ao público um show que transbordou nostalgia e inovação. Depois de 15 anos do fim do grupo, Li Martins, Karin Hils, Lu Andrade, Aline Wirley e Fantine Thó voltaram aos palcos com uma turnê comemorativa e agora divulgam o seu recente lançamento, o EP “5”.

Assumindo uma nova postura no palco e levando uma mensagem de poder as mulheres, abriram o  com o seu mais recente single de trabalho “Dona da Minha Vida”. Muito bem coreografadas e acompanhadas por um ballet incrível, as meninas trouxeram também seus  hits clássicos dos anos 2000 com as conhecidas coreografias chicletes.

Com largos sorrisos nos rostos e fazendo a plateia vibrar e cantar cada verso, as meninas apresentaram o melhor daquilo que já conhecíamos com músicas como “Brilha La Luna”, “Não dá pra Resistir” e o hit “Ragatanga”.

O grupo não segurou a emoção quando, em um dos momentos mais marcantes do festival, a arena ecoou em um coral cantando “Um Anjo Veio Me Falar” e criou um céu de luzes com as lanternas dos celulares.

Foto: Lucas Henrique 

Marcado como o primeiro show em uma arena desde a volta do grupo, que aconteceu há um ano, as cinco integrantes também se juntaram ao cantor Vitão na faixa “Beijo Na Boca”, música que faz parte do novo EP de trabalho recentemente lançado.

Rouge mostrou o poder de seu legado trazendo o melhor do passado, mas também mostrou que voltou com uma nova identidade e uma nova mensagem. Aquecendo o coração dos fãs fiéis que aguardaram por horas pelo show mas embalaram o restante do público na sua onda de inovação, alegria e muita dança.

Nos acompanhe também nas redes sociais:

Instagram: @Indieoclock
Twitter: @Indieoclock
Facebook: Indieoclock

Postar um comentário

0 Comentários