Store

test

NEWS

Post Top Ad

Your Ad Spot

04/10/2018

Álbum Review - Trench


Nessa sexta-feira (05/10) um dos álbuns mais esperados do ano no cenário musical acaba de ser lançado: Trench, do duo estadunidense Twenty One Pilots. O álbum estréia com a missão de ser tão bom quanto o seu antecessor, Blurryface, o qual rendeu para a dupla um Grammy, 7 prêmios Billboard Music Awards e uma fama mundial estrondosa (muito por conta do single Stressed Out).

Trench é composto por 14 faixas inéditas, sendo que algumas faixas já foram lançadas anteriormente como singles; Em uma matéria anterior aqui no Indieoclock alertamos para os variados estilos musicais que os singles estavam sendo lançados, e podemos dizer que o restante do álbum, de uma forma geral, seguiu essa mesma mistura de estilos, o que já é uma marca consagrada do duo, sendo que podemos observar esse grande mix também em seus trabalhos anteriores.

Um dos grandes destaques desse álbum com certeza é o baixo marcante presente de forma ativa em diversas músicas, como o caso de My Blood, por exemplo;

Outro fator muito positivo, interessante e que continuou bem forte nesse álbum é o jeito que o duo faz com que suas músicas flertem com outros estilos como por exemplo o Rap e Hip & Hop, como já fizeram em composições de álbuns anteriores – caso de músicas como Levitate, Morph e Pet Cheetah; Outro estilo que também já foi abordado em discos anteriores é o Reggae, e em Trench músicas como Nico and the Niners e Cut My Lip demonstram bem como o duo consegue fazer de forma tão positiva com que esses estilos se misturem, e, acabam criando a sua própria identidade musical.

Agora, se você é muito fã das músicas com ukulele da dupla, sentimos dizer que se tem algo que vai na contra mão desse álbum em relação aos anteriores é que esse instrumento foi usado muito pouco. Na verdade só vemos o ukulele com clareza na música Legend, e vemos ele de forma bem sutil também em Nico and the Niners. Por outro lado, vemos o duo sendo inovador a nos oferecer, por exemplo, uma música  -Neon Gravestones - onde a base é feita em cima de um piano e temos uma linha vocal voltada para o Rap/Hip & Hop – de uma forma mais sutil -; porém é exatamente essa mistura de elementos que torna o Twenty One Pilots tão único e original.

Em resumo, o quinto álbum do Twenty One Pilots consegue ser tão bom quanto o Burryface, se vai ser tão famoso quanto, só o tempo poderá dizer, mas uma coisa podemos ter certeza: o sucessor de Blurryface tem muito potencial para proporcionar mais prêmios para Tyler e Josh. O duo continuou flertando com variados estilos, dando destaque ao Rap, Hip & Hop e Reggae, mas ao mesmo tempo consegue construir com isso a sua própria identidade musical. Em linhas gerais é mais um ótimo álbum do Twenty One Pilots.

Além dos singles já lançados anteriormente, destacamos as seguintes músicas do Trench: Morph, Chlorine, Smithereens, The Hype e Legend.

O álbum já está disponível para ser escutado e apreciado nas principais mídias digitais.

Nota: 9/10


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas