Entrevista: Pomme conta sobre seu novo álbum


Entrevistador: Marcus Vinícius | Tradutor: Vyctor Hugo
Olha essa francesa conquistando cada vez mais! Pomme se destacou com seu EP "En Cavale" e por seus covers no YouTube. Misturando um indie com folk, a cantora tem como uma das principais canções "J'suis pas dupe" e "Sans Toi". Recentemente, lançou o seu primeiro álbum, "À Peu Près", que já alcançou grandes ouvintes pelo mundo! Pomme contou pra nós da Indieoclock um pouco de como foi a produção e as inspirações do novo álbum.

Você está muito perto de lançar o novo álbum em outubro e como surgiu a ideia "à peu près", foi um novo presente para os fãs?
Pomme - "À peu près" é meu primeiro álbum, e tem bastante tempo desde que eu escrevi certas músicas e tido a ideia de realizar um álbum. Eu sempre cantava quando criança e eu tenho feito muitos shows por 6 anos. "À peu près" é como um resumo dos meus últimos 6 anos. Ser uma jovem e uma adulta agora, e tentar explicar o que é uma vida mais humana (através de emoções, sentimentos, momentos) hoje em dia.

Depois de lançar a música "Même robe qu'hier" em maio e deste ano e o lançamento do nome do álbum. O que você achou da repercussão e o que você achou da reação de seus fãs com um novo single?
Pomme - As pessoas na internet são boas, mas eu realmente não presto atenção as reações virtuais. Eu prefiro cantar ao vivo em frente à pessoas reais, quando eu faço shows! E eu tenho sorte de fazer muitos shows todo o tempo. Eu acho que as pessoas gostaram de "Même robe qu'hier" mas isso não é minha mais pessoal e intimidadora música. É mais como um alívio no álbum, umas férias, não é para as pessoas pensarem ou se concentrarem, é uma simples música pop. Eu acho que as pessoas preferem minhas tristes, depressivas músicas hahaha!

Na produção do álbum "à peu près" você teve alguma inspiração especial?
Pomme - Eu escuto um monte de músicas todo o tempo e eu sou realmente curiosa sobre novos artistas do meu tempo. Eu amo como Barbara costuma escrever, e eu também escuto Fiest, Surjan Seventen, Regina Spektor. O estilo folk em geral. 

Com o álbum completo, você já possui uma música favorita?
Pomme - Eu acho que é "Ceux qui rêvent"! Essa música é realmente especial para mim, é sobre insônia e tentar dormir. Insônia, sonhos e dormir são temas que realmente me fascinam. 

Qual será a abordagem do novo material? Deseja deixar uma mensagem especial?
Pomme - Eu acho que eu só tentei ser eu mesma. Eu tive um tempo no estúdio para experiencias, e isso é como um laboratório pequeno, foi bom e acolhedor. A mensagem e só "isso é o que eu sou" e "tenha medo de chorar", eu acho! Haha.

Qual foi o seu sentimento quando soube que "Sans toi" e "J'suis pas dupe" atingiram a marca de 1.500.000 pontos de vista e seu enorme reconhecimento mundial?
Pomme - Haha! Eu não sei. Sou feliz com isso. A internet é maluca. Tudo pode se tornar grande. Se todas estas pessoas comprarem o álbum eu ficarei rica!!! Mas este não é o caso! É meio estranho. Mas eu sou feliz que todas estas pessoas tenham acesso à minha música!

No álbum "En Cavale", a principal abordagem dos vídeos, foram passeios pela cidade e no campo, sendo interpretados por você. Com a conclusão do novo álbum, você pretende seguir com o modelo de vídeo, cobrindo a mesma apresentação do vídeo "Même robe qu'hier"?
Pomme - Eu acho que gostaria que meus vídeos fossem um pouco mais sofisticados. Os primeiros que realizamos eram, por sinal, videoclipes mas pelos momentos ilustrando as músicas do EP. Eu acho que agora eu quero criar videoclipes oficialmente reais como o de "Même robe qu'heir"! 

Você pretende fazer mais covers como "Je te déteste" e "Umbrella" (Nós gostaríamos de vê-la cantando em português, seria um bom desafio haha)?
Pomme - Eu amo fazer covers e assim foi como comecei. Eu acho que gostaria de fazer covers pelo resto da minha vida! É tão gratificante e interessante! Isso me ajuda a tentar coisas novas com o violão especialmente.  

Com o lançamento de "En Cavale", você ganhou muito o público francês e até mesmo público mundial. Você teve uma ótima turnê na França, mas agora, após o lançamento de "à peu près", em seus objetivos, são mesmo shows internacionais?
Pomme - Eu fiz um par de shows na Europa e amei. Tocar em frente à pessoas que não, necessariamente, entendem francês é muito especial. Eu toquei na Espanha, Alemanha, Estônia. As pessoas estão escutando em diferentes, muito prazerosas, meditativas formas. Eu amei muito. Eu quero muito tocar no norte da Europa, Finlândia, Noruega...e, claro, na América do Sul!

Confira o álbum completo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent

recentposts

Random

randomposts