Jake Bugg conta um pouco sobre a motivação do show Beneficente em São Paulo

Foto pertence a Indieoclock, tirada pelo profissional de imagens Vinicius Paixão
Durante a performance no Paralise Guillian Barré - Por: Vinícius Jesus Indieoclock

Por: Tatiane Teixeira

No dia 8 de Março ocorreu o show Beneficente do Jake Bugg em São Paulo, era um show fechado com poucos fãs, que mereceram estar lá doando alimentos, uma quantidade enorme de alimentos, e com a imprensa, para poder divulgar um pouco o que é a síndrome de Guillian Barré, e também arrecadar fundos para a pesquisa sobre a doença que é rara e ainda muito mal explorada por pesquisadores.

Como era a vontade do cantor que o assunto da doença viesse atona o Indieoclock resolveu passar a vocês  informações sobre a doença, que quando detectada nos estágios iniciais pode ser muito bem tratada, não há cura, só tratamento. Para nós brasileiros essa informação é muito importante, pois a doença se está associada com o Zika vírus.

Jake Bugg resolveu fazer essa campanha, pois perdeu recentemente uma amiga, a Bianca, uma pessoa que segundo o que ele nos contou era linda de alma, Jake disse ao Indieoclock que não entende como isso foi acontecer com ela uma pessoa tão boa. Bianca foi quem divulgou o nome Jake Bugg no Brasil, ela ia em todas as gravadoras levar os discos dele. Uma enorme amiga para Jake Bugg



O que é Síndrome de Guillain-Barré?

Sinônimos: polirradiculoneurite aguda, polineuropatia desmielinizante
A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença autoimune que ocorre quando o sistema imunológico do corpo ataca parte do próprio sistema nervoso por engano. Isso leva à inflamação dos nervos, que provoca fraqueza muscular.

Causas

O Ministério da Saúde confirmou que a infecção pelo Zika Vírus pode provocar também à Síndrome de Guillain-barré. No Brasil, a ocorrência de síndromes neurológicas relacionadas ao vírus Zika foi confirmada após investigações da Universidade Federal de Pernambuco, a partir da identificação do vírus em amostra de seis pacientes com sintomas neurológicos com histórico de doença exantemática. Deste total, quatro foram confirmadas com doença de Guillain-barré.
Na síndrome de Guillain-Barré, o sistema imunológico de uma pessoa, que é responsável pela defesa do corpo contra organismos invasores, começa a atacar os próprios nervos, danificando-os gravemente.

O dano nervoso provocado pela doença provoca formigamento, fraqueza muscular e até mesmo paralisia. A síndrome de Guillain-Barré costuma afetar mais frequentemente o revestimento do nervo (chamado de bainha de mielina). Essa lesão é chamada de desmielinização e faz com que os sinais nervosos se propaguem mais lentamente. O dano a outras partes do nervo pode fazer com que este deixe de funcionar completamenteBuscando ajuda médica

Alguns sintomas são emergenciais. Isso quer dizer que, se você senti-los, você deve procurar ajuda médica imediata. São eles:

Tratamento de Síndrome de Guillain-Barré

Não existe cura para a síndrome de Guillain-Barré. Entretanto, há muitos tratamentos disponíveis para ajudar a reduzir os sintomas, tratar as possíveis complicações e acelerar a recuperação do paciente.
Quando os sintomas são graves, a hospitalização será recomendada para dar continuidade a um tipo de tratamento mais específico, que pode incluir aparelhos de respiração artificial.
Nos estágios iniciais da doença, tratamentos que removem ou bloqueiem a ação dos anticorpos que estão atacando as células nervosas podem reduzir a gravidade e a duração dos sintomas da Síndrome de Guillain-Barré.
Um desses métodos é chamado de plasmaferese e é usado para remover os anticorpos do sangue. O processo envolve extrair sangue do corpo, geralmente do braço, bombeá-lo a uma máquina que remove anticorpos e depois enviá-lo novamente ao corpo.
Outro método é bloquear os anticorpos usando altas doses de imunoglobulina. Nesse caso, as imunoglobulinas são adicionadas ao sangue em grandes quantidades, bloqueando os anticorpos que causam a inflamação."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recent

recentposts

Random

randomposts